Ciência Espiritualidade Quântica

E se o universo fosse um cérebro gigante? Simulações apontam nesse sentido…

O universo pode ser um sistema único, fractal, de galáxias, cérebros ou mesmo de átomos,  foi o que revelou uma simulação de computador sobre a expansão do universo quântico ao revelar um espantoso paralelismo no crescimento de células cerebrais e os aglomerados de galáxias.

Há 6 anos atrás o New York Times publicou a imagem mostrada em cima para melhor mostrar a semelhança impressionante entre um sistema de ligações neurológicas de um rato e uma simulação de computador do universo em expansão com aglomerados de galáxias rodopiantes e rodeadas por estrelas e matéria escura. Esta imagem foi usada apenas informalmente por inúmeros sites para representar a correspondência entre a evolução cósmica e a evolução na terra, seguindo o adágio hermético “o que está em cima, está em baixo”. Esta semelhança fez-nos usar a imaginação e sentir a maravilha de viver num mundo onde tudo parece estar ligado, onde cada forma parece ser o reflexo de uma outra forma arquetípica, de uma força infinita de espelhos.

Agora, esta imagem que invadiu a mente do homem por milénios de que o homem é uma imagem do universo microcósmico, parece ser confirmada, pelo menos parcialmente. De acordo com relatórios de pesquisa publicados por cientistas na revista Nature, o universo cresce, expandindo as galáxias na mesma forma que um cérebro desencadeia as sinapses pelos neurónios.

Uma simulação computorizada que representou como formam as redes unidades quânticas subatomicas de tempo-espaço, sugere que existe um padrão comum de crescimento natural e dinâmico tal como sistemas evoluem. Esta dinâmica de crescimento pode ser observada também no cérebro humano, na internet ou no universo como um todo. Esta ligação poderia então ser entendida como uma expressão de um único sistema que se divide em vários nós, e que por sua vez cada um dos novos sistemas reflete as condições e os comportamentos de um sistema superior adquirindo uma propriedade fractal e tecer uma teia ou uma rede de redes.

De acordo com o físico Kroukov Dimitry, da Universidade de San Diego, esta relação de correspondência evolutiva é um sinal de que existe algo no funcionamento da natureza que escapa à física moderna.

A descoberta de um paralelismo entre o “crescimento” do universo e do “cérebro” não implica o mesmo que dizer que o universo é um organismo pensante – com sinapses entre estrelas e uma consciência neurocósmica, mas a questão que permanece é se essa estrutura-mãe de crescimento contém de alguma forma uma “planta” ou projeto de consciência. E se assim fosse poderíamos estar perante uma Internet em breve a emergir como uma entidade auto-consciente )…

Na realidade esta imagem poética de todo o universo a processar informação como um Mega-computador em que nós figuraríamos apenas como um breve sonho, um lampejo de consciência ou um algoritmo efémero no meio de biliões ros, aproxima-se mais do misticismo. E a partir daí exerce em nós uma atração irresistível: a atração de correspondências, em que de alguma forma estamos todos a cumprir um processo que é repetido por toda a eternidade.

Fonte: HuffingtonPost

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
  • Randrew Wallace

    “E assim fomos feitos a sua imagem e semelhança”. Bons entendedores, entenderam.

Partilhas