Ciência Genética Saúde Sociedade

Médicos dinamarqueses “muito próximos” da cura para a SIDA

cura_sida

Desde a década dos anos 80 que assistimos ao flagelo da SIDA (AIDS). Desde a sua descoberta que cientistas tentam encontrar uma possível cura. É legítimo dizer-se que grandes passos foram já dados no entanto, não existe ainda propriamente uma cura.

hivNo entanto, nas últimas semanas surgiram algumas notícias que apontam para a descoberta de uma possível cura para a SIDA. Senão recordemos o caso do bebé que nasceu com HIV e com 2 anos de idade foi curado por médicos norte-americanos. Existe também um outro caso em Paris, em que médicos do Instituto Pasteur anunciaram ter conseguido controlar o HIV em 14 adultos.

Agora, um grupo de investigadores da Dinamarca assegura que em poucos meses poderão desenvolver uma “estratégia inovadora” pela qual o HIV pode vir a ser suprimido do ADN humano e, assim, elimina-lo permanentemente do sistema imunitário.

Segundo este procedimento (desenvolvido no Hospital Universitário de Aarhus, situado na cidade de Aarhus) será possível fazer emergir os “depósitos” (reservoirs) de HIV que se formam nas células de ADN, trazendo-os à superfície da célula e uma vez aí, deixar que seja o próprio sistema imunitário, previamente fortalecido por uma determinada vacina, a encarregar-se de as eliminar.
A técnica foi comprovada em laboratórios dinamarqueses e reconhecida pelo Conselho Dinamarquês para a investigação com um prémio de quase 3 milhões de dólares, para a prossecução do estudo, desta vez com pessoas que sofram desta doença.

Até agora são 15 os pacientes que se encontram a testar este tratamento e em função da resposta, decidir-se-á o aumento da escala de pacientes.

Estou quase certo que teremos exito ao libertar os depósitos de HIV. O resto será conseguir que o sistema imunitário do paciente reconheça o virus e o destrua. Isso vai depender da forlça e sensiblidade dos sistemas de cada indivíduo” declarou o Ole Sogaard, responsável pelo projecto e um dos principais investigadores envolvidos neste estudo

Fonte: RT

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
Partilhas