Astronomia Ciência Física

Voyager I: Saiu do sistema solar e já mostra os sons do espaço interestelar

Voyager-IApós quase 36 anos, a sonda da NASA tentou sair do sistema solar em Agosto de 2012, mas somente agora os cientistas puderam ter certeza de que finalmente conseguiu, apesar de todos os relatórios dos últimos meses que desafiam a física e refutam o conhecimento aceite como verdadeiro pela comunidade científica de hoje.

“A Voyager está corajosamente onde nenhum objecto humano jamais esteve, marcando um dos avanços tecnológicos mais significativos da história da ciência”, disse John Grunsfeld, da NASA. “Talvez alguns futuros exploradores do espaço venham a encontrar a Voyager, e refletir sobre como esta sonda intrépida os ajudaram a consolidar o seu futuro.”

Viagem longa e histórica

A Voyager 1 foi lançada no dia 5 de setembro de 1977 , cerca de duas semanas após sua gémea, a Voyager 2. Juntas, as duas sondas realizaram um épico “grand tour” pelos planetas exteriores, dando aos cientistas importantes dados sobre Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e as luas desses mundos distantes.

A dupla completou a sua missão primária em 1989, e (impulsionada pela gravidade desses planetas) continuou voando em direcção à borda da heliosfera, a enorme bolha de partículas carregadas e campos magnéticos que sopra do Sol. A Voyager 1 já aparece livre dessa bolha no reino exótico e inexplorado do espaço interestelar, segundo os cientistas.

Eles chegaram a essa conclusão com uma pequena ajuda do Sol. Uma poderosa erupção solar enviou elétrons no local da Voyager 1 entre 09 de abril e 22 de maio deste ano. O instrumento de ondas de plasma da sonda detectou essas oscilações, e os pesquisadores utilizaram as medições para descobrir que os arredores de Voyager 1 continham cerca de 0,08 elétrons por centímetro cúbico. Isso é muito maior do que a densidade observada nas regiões mais externas da heliosfera (cerca de 0,002 elétrons por centímetro cúbico), e o esperado para o espaço interestelar.

“Nós literalmente saltamos da cadeira quando vimos essas oscilações nos nossos dados – elas mostraram que a sonda estava numa região totalmente nova, comparável ao que era esperado no espaço interestelar, e totalmente diferente da bolha solar que achavamos existir”, disse Don Gurnett, da Universidade de Iowa, EUA.

Descobertas

A missão Voyager já acumulou uma série de descobertas ao longo dos últimos 36 anos, revelando informações importantes sobre os planetas gigantes e suas luas, bem como as condições na borda do sistema solar. A chegada da nave espacial no espaço interestelar poderia trazer muitas descobertas mais interessantes, disseram os pesquisadores.

“Todos os dias olhamos para os dados, sabemos que estamos vendo informações que ninguém viu antes vindos de uma região onde nada jamais esteve”, disse Stone. “Estamos todos ansiosos para aprender muito nos próximos anos.”

A Voyager 1 pode se manter activa por um tempo, desde que nada de muito importante quebre inesperadamente. O primeiro instrumento está previsto para ser desligado apenas em 2020, e a NASA acredita que a Voyager deixe de funcionar em 2025. Tempo de sobra para muitas descobertas mais.

O som do espaço exterior

Com este vídeo do Laboratório de Propulsão a Jacto, da NASA, explica, os “sons” que ouve refletem a detecção do denso gás ionizado (o “plasma interestelar”, que preenche o espaço entre sistemas de estrelas como o nosso e, digamos, Alpha Centauri) tomada pelo instrumento de onda de plasma da Voyager.

A banda sonora reproduz a amplitude e a frequência das ondas de plasma “ouvidas” pela Voyager 1. As ondas detectadas pelas antenas do instrumento podem ser amplificadas e reproduzidas através de um altifalante. Estas frequências estão dentro da faixa ouvida por humanos. Esses gritos estridentes e espectrais foram os que ajudaram a equipe da Voyager a determinar a densidade do meio interestelar, e finalmente deduzir que a nave tinha realmente deixado o sistema solar.

Como certamente percebeu, o som do espaço interestelar encaixa-se perfeitamente num filme de terror.

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
  • Libardo Pereira

    agora pergunto: que tecnologia usa a voyager para comunicar com a terra?

    • fabriciobatera

      Verdade, eu também gostaria de saber..

  • LuiSilva

    Também estou curioso em saber como consegue fazê-lo tendo em conta a distância que a separa da Terra.

    • Celso Rodrigues

      Que eu sei, construíram enormes Antenas parabólicas, que não estavam previstas para receber os debeis sinais de radios que chegam das sondas.

Partilhas