Insólito

Pirâmides descobertas na Antártida?

Pyramids in AntarcticaTrês pirâmides antigas foram descobertas na Antártida, por uma equipa de cientistas americanos e europeus. Duas foram descobertas cerca de 16 milhas para o interior, enquanto a terceira muito perto da costa.

Os primeiros relatórios sobre as pirâmides apareceram nos meios de comunicação ocidental no ano passado. Algumas fotos foram publicadas nalguns sites com um comentário de que as estruturas estranhas poderiam servir como prova de que o continente coberto de gelo costumava ser quente o suficiente para ter sido habitado por uma civilização.

Imagem aérea tomada através do gelo do Pólo Sul parece mostrar duas ou, possivelmente, três pirâmides numa linha, em formação semelhante às pirâmides de Gizé. Até agora, pouco se sabe sobre as pirâmides e a equipe prefere manter silêncio sobre a descoberta. Isto levou a uma onda de entusiastas a acreditar e a desacreditar a notícia.

A única informação confiável, fornecida pelos cientistas, era de que eles estavam a planear uma expedição às pirâmides e continuar a investigar e determinar, com certeza, se as estruturas são artificiais ou naturais. Nenhum detalhe foi dado sobre o calendário da expedição. Se os pesquisadores provarem que as pirâmides são estruturas feitas pelo homem, a descoberta poderá levar a uma revisão da história da humanidade e por isso as coisas têm um tom de abafamento intenso.

Enquanto isso, uma série de descobertas estranhas, mas interessantes, têm sido feitas recentemente na Antártida. Em 2009, cientistas encontraram partículas de pólen, o que poderia permitir afirmar que as palmeiras cresceram na Antártica e que as temperaturas do verão chegariam 21º C. Três anos depois, em 2012, os cientistas do Instituto de Pesquisas do Deserto, em Nevada, identificaram 32 espécies de bactérias, em amostras de água, do Lago Vida na Antártida Oriental.

Será possível afirmar que a Antártida já foi quente o suficiente, no passado recente, para ter permitido a existência de uma civilização que ali viveu? E ainda mais surpreendente é a questão de saber se os restos de uma cultura avançada e desenvolvida estarão ainda enterrados sob o gelo.

Os estudiosos e egiptólogos já suspeitavam que a Esfinge é muito mais antiga do que o imaginado, possivelmente mais de 12.000 anos de idade. Os cientistas descobriram que a evidência de erosão hídrica na estátua antiga, a maior do mundo, tem uma história de mudanças climáticas a partir de uma floresta tropical ao calor do deserto em alguns milhares de anos. Se o clima no Egipto mudou tão rapidamente, é igualmente possível que o clima da Antártida também poderia ter mudado drasticamente ao mesmo tempo?

Klaus_Dona_2_html_2fa10807De acordo com a teoria da correlação Robert Bauval e Adrian Gilbert, a construção das pirâmides de Gizé foi realizada num período anterior entre 12,500 e 10.500 aC, motivando, esta retroactividade uma correlação entre a localização das três principais pirâmides na Necrópole de Gizé e as três estrelas da constelação de Órion, e que esta correlação foi intencionalmente criada por pessoas que construíram as pirâmides.

A referência à data de 12.500 anos atrás é significativa para Graham Hancock, uma vez que a posição das pirâmides pode indicar o momento exacto em que uma civilização avançada desapareceu devido a um cataclismo global. No seu livro As Pegadas dos Deuses, Graham Hancock encontrou as pistas levam a uma conclusão. De acordo com Hancock, as pirâmides foram construídas em todas as culturas ao redor do planeta e os seus monumentos contêm claras configurações astronômicas mais ou menos evidentes.

De antigos testemunhos de muitas comunidades – a Grande Esfinge do Egipto, os misteriosos templos de Tiahuanaco, as linhas gigantes de Nazca, no Peru, as pirâmides maciças do Sol e da Lua no México – o estudo comparou-os com os mitos e lendas universais e mapas que datam dos tempos antigos e sugerem a existência de um povo com uma inteligência superior que possuía tecnologia sofisticada e conhecimento científico detalhado, cuja “pegada”, no entanto, foi completamente exterminada por um desastre de enormes proporções. Cada cultura tem adorado os seus reis como deuses, as religiões foram todas destinadas a encontrar a imortalidade da alma e os sacerdotes eram os astrónomos com o conhecimento antecipado dos movimentos celestes. A cobra-réptil é uma figura simbólica que está presente em todas as culturas e é considerada sagrada.

Esta grande unidade cultural, de acordo com Hancock, sugere que a civilização humana não nasceu de uma saída repentina do nada, mas foi “ajudada” por alguém com conhecimento cultural e tecnologia avançada. A prova que sustenta esta teoria é a expansão da agricultura. Descobriu-se que a agricultura nasceu, simultaneamente, em, pelo menos, seis regiões do mundo sem ligação aparente entre eles: América Central e do Sul, o Crescente Fértil, África Central, Leste da China e do Sudeste Asiático.

Em conclusão

Lemos com apreensão os relatórios do aquecimento global alertando que tanto o Ártico e a Antártida estão a derreter. Muitos poderão viver para ver o dia em que serão expostos em todo continente da Antártida, os artefactos dos antigos que viviam lá. Se houver uma pirâmide gigante, isto irá vai mudar o pensamento do mundo, definitivamente. Até ao momento não conseguimos recriar as grandes pirâmides. Nós simplesmente não temos a tecnologia. Portanto, a questão é: de quem são estas pirâmides na Antártida? O que eles deixaram para trás?

Veja o vídeo das pirâmides de Antarctica, transmissão RAI Itália:

Fontes: RAI, History Channel Brasil

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
Partilhas