Insólito Saúde

Inédia: É possível viver somente de energia?

984791_69376972_pic(1)Muitos casos comprovaram que é possível, porém muitas pessoas morreram na tentativa de ficar sem comer e/ou beber durante tempos prolongados. Nos dias de hoje a ciência estuda todos os casos que alegadamente existem de humanos que vivem de energia sem consumir qualquer alimento ou bebida e os resultados têm sido confusos para o que todos temos como obrigatório na lei da vida.

Nos últimos anos, tornou-se frequente o assunto sobre a possibilidade dos seres humanos viverem exclusivamente de energia, sem a necessidade de comer alimentos e até de beberem  água, tendo dado lugar a um sem número de livros e documentários televisivos. Afirmações de que é possível viver a partir da energia cósmica universal, da energia divina, da luz solar, do prana, do chi, ou do ki, passaram a ser ouvidas e testemunhadas por pessoas em vários lugares do mundo, aparentemente aleatórios.
Diversas pessoas deram testemunho ou mesmo foram investigadas por cientistas, jornalistas e leigos, provando que podiam viver dias ou até décadas sem ingerir quaisquer alimentos e água. Tais pessoas relataram e/ou comprovaram que a medida não causou prejuízos à saúde, e que levam uma vida normal, inclusive tendo melhoras consideráveis na sua saúde física e mental.

No cristianismo, a abstenção total de alimentos é chamada de inédia, e várias pessoas consideradas santas pela igreja vivenciaram-na (Therese Newmann, Marthe Robin, Luisa Piccarreta, Nicholas von Flüe, entre outras) para não falar de relatos bíblicos de inédia que são pertença de livros comuns ao cristianismo, ao islamismo e ao judaísmo. A ciência começou a utilizar esta mesma palavra para este fenómeno.

Inédia é a suposta possibilidade de sobreviver sem alimentos – uma espécie de fotossíntese – também chamada de Respiratorianismo que é um conceito relacionado, que afirma que comida e até mesmo água não são necessários e é possível viver somente de prana (a força vital do Hinduísmo), ou, de acordo com alguns, se alimentando de luz solar. Nos últimos anos, o movimento foi popularizado pela australiana Ellen Greve, mais conhecida como Jasmuheen. O consenso científico actual sobre nutrição e o bom senso normalmente aceite indicam que uma pessoa exposta a esse tipo de dieta, a longo prazo, acabará por morrer de inanição ou desidratação, mas alguns respiratorianos submeteram-se, durante muitos dias consecutivos, a testes médicos rigorosos em hospitais, incluindo muitos exames para verificar o estado de saúde do examinado, e também com câmaras filmando-os todos os dias, durante as 24 horas para garantir que nada fosse ingerido durante todos os dias em que estavam sendo testados e examinados no hospital. Um destes respiratorianos é Prahlad Jani (um indiano que alega não comer e não beber nada há 67 anos). Prahlad Jani foi submetido a testes em 2003 e em 2010, mas os resultados obtidos foram considerados confidenciais e não foram publicados em jornais científicos. Outra pessoa que passou pelos mesmos tipos de testes, com supervisão médica, foi Hira Ratan Manek, que é outro indiano, que alega viver sem comer e que se alimenta da luz do Sol. Esta suposta técnica de se alimentar da luz do Sol é chamada pelos ingleses de SunGazing.

Palden_Dorje_closeupAlguns casos ficaram famosos, como o do Menino Buda (Palden Dorje), um jovem nepalês budista, cujo nome de baptismo é Ram Bahadur Bomjon, que em anos recentes ficou meses meditando imóvel sob uma árvore no Nepal sem comer ou beber. Dorje iniciou a sua meditação em 16 de maio de 2005, desapareceu de sua cidade em 11 de Março de 2006, reaparecendo noutra localidade do Nepal em 26 de Dezembro de 2006. Desapareceu novamente em 8 de Março de 2007. Em 26 de Março de 2007, foi encontrado por inspectores da polícia, meditando dentro de um fosso quadrado de sete pés de profundidade, num outro ponto de Ratanapuri. Num documentário produzido pela Discovery Channel, Dorje foi filmado meditando ao lado das raízes de uma imensa árvore por dias consecutivos, tempo que se acredita que o ser humano é incapaz de sobreviver sem consumo de água. Além da Discovery Channel comprovar que ele nem sequer se moveu durante esse período, especialistas em nutrição ficaram pasmados com o facto de que sua pele não ficou ressequida ou com feridas e que, mesmo estando num máximo 15 graus Celsius (e talvez abaixo de zero durante a noite), por vezes gotas de suor escorriam pelo seu rosto. Assista asseguir a um pequeno excerto do documentário.

Também existem casos actuais onde pessoas que afirmam viver em jejum total ensinam abertamente os seus métodos às pessoas. O engenheiro mecânico indiano Hira Ratan Manek, que diz viver apenas de luz solar e água por períodos que ultrapassam um ano, viaja o mundo ensinando o seu método, que ele chama de SunGazing (Contemplação Solar). A famosa supramencionada Jasmuheen (australiana de 56 anos, cujo nome original é Ellen Greve) afirma viver somente da luz cósmica, e já ensinou abertamente os seus métodos a milhares de pessoas, em diversos países. E o chinês Yan Xin, mestre de qigong que se tornou famoso por ensinar o jejum espontâneo, que em chinês se chama bigu, a milhares de pessoas e por ter sido convidado a ensiná-lo como técnica inclusive para astronautas.

No entanto, é realmente possível viver somente de energia, prescindindo totalmente de alimentos e água? Quem dessas pessoas, quando submetida a testes, provou não necessitar de alimentos ou água por períodos importantes, sem ter qualquer decréscimo na saúde? E se alguns provaram viver somente de energia, como o fazem e com quais finalidades?

De facto, algumas destas pessoas foram testadas por cientistas, e os resultados comprovaram que elas não se alimentavam, não bebiam e nem mesmo excretavam durante os dias ou semanas dos testes. As possibilidades de fraude, nalguns casos, foram consideradas nulas, devido ao rigoroso acompanhamento e controle feito pelos cientistas. As explicações científicas não foram suficientes para explicarem o porquê dessas pessoas conseguirem manter-se totalmente saudáveis, às vezes muito mais saudáveis do que as pessoas ditas normais, sem qualquer tipo de ingestão de nutrientes ou de água durante longos períodos.  Noutros casos, mais raros é certo, constatou-se a incapacidade da pessoa de manter o jejum completo, ou mesmo muita inconstância e/ou falha nos resultados gerais dos seguidores de alguns desses métodos amplamente divulgados.

As evidências, não sendo provas científicas pois nunca foram publicadas como tal, mostraram que realmente é possível viver somente de energia, pelo menos para algumas dessas pessoas. Porém, isso depende do estado da consciência espiritual da pessoa, do seu conhecimento espiritual e de suas intenções. Por outro lado, algumas coisas bastante perigosas, desde estados de hipersensibilidade, ansiedade e tensão psíquica, até a morte, ocorreram com pessoas que foram treinadas abertamente em algumas dessas técnicas pelo que avisamos o leitor a que não faça isto em casa.

953265-india-healthO caso mais estudado cientificamente: Prahlad Jani

Prahlad Jani nasceu em 13 de agosto de 1929, no vilarejo chamado Chharodi, que fica no distrito de Mehsana, no estado indiano de Gujarat. Aos 11 anos, teve alegadamente uma experiência espiritual com uma divindade hindu que transformou completamente a sua vida, e aos 12 anos passou a viver em total abstinência de comida e bebida. Devido à sua afirmação de que vive apenas de luz solar, e que não come e nem bebe desde os 12 anos de idade, foi submetido a diversas investigações científicas, por equipas médicas orientais e ocidentais, em diferentes locais e circunstâncias, por períodos contínuos de até 15 dias.

Durante uma dessas investigações, levada a cabo em 2003 por uma equipe científica, no Hospital Sterling, na cidade indiana de Ahmedabad, Prahlad Jani foi mantido sob observação numa suite fechada, com o WC lacrado, e submetido a exames médicos e estrita vigilância. Ele foi acompanhado e filmado 24 horas por dia pela equipa de cientistas. O médico neurologista e chefe da equipe, Dr. Sudhir V. Shah, disse:

…assim foi de minuto a minuto. Ele estava numa suite fechada por fora, a casa de banho também, os meus assistentes faziam turnos para estarem com ele [durante] as 24 horas. Equipas de médicos vinham em diferentes horas do dia, sem que isso lhe fosse informado, e asseguramo-nos de que nada saísse errado, no sentido de que o mundo médico soubesse que não houve sequer um erro.

A esse respeito, Prahlad Jani disse: “Tiraram amostras de sangue três vezes ao dia, de manhã, ao meio dia e à tarde. Examinaram os meus rins e o meu cérebro, e colocaram equipamentos em todo o meu corpo. Procuravam descobrir que factores faziam meu corpo funcionar. Também colocaram equipamentos dentro do meu corpo”.

Se uma pessoa normal ficasse sem ingerir líquido por longo período, ela morreria após seis dias. No entanto, Jani manteve-se sem comer e sem beber durante os doze dias da pesquisa. “Não foi dada comida e nem água a esse homem. Não urinou e nem defecou; nem sequer algumas gotas de urina”, afirmou o Dr. Shah. No final da investigação, o Dr. Shah disse: “Depois de dez dias, os seus parâmetros eram todos normais. Estudamos o sangue e fizemos todos os estudos que se podem imaginar… Cientistas norte-americanos também o examinaram várias vezes, através de óptimos procedimentos, e não encontraram nada de anormal [nos seus exames]”.

Apesar de ser um asceta, Jani leva uma vida activa, às vezes caminhando muitos quilómetros num único dia, sem necessitar comer ou beber, e nunca transpira ou mostra qualquer sinal de cansaço. Jani disse: “Creio que poderia viver cinco mil, ou quem sabe dez mil anos, com esse mesmo corpo”. Jani afirma viver através da luz solar, depois de haver recebido uma bênção, aos onze anos de idade, de uma divindade hindu, chamada Ambaji. Essa divindade transmitiu-lhe uma técnica yogi especial, que segundo ele, lhe permite absorver e transformar a luz solar para nutrir o seu corpo.  “Recebo as bênçãos de Mataji (Deusa Mãe) e isso me dá a energia para sobreviver. Não ingiro água desde minha infância, e, por isso, não conheço o sabor da água. Nunca tenho sede; então, não bebo. Mataji apareceu pessoalmente para mim e colocou um dedo sobre a minha língua, e então me disse: ‘Agora pode sobreviver sem comer e sem beber’”.

Um facto bastante intrigante é que, depois de executar essa prática yogi por algum tempo, surgiu no palato de Jani uma fenda, da qual escorre diariamente uma substância adocicada. Os médicos examinaram a fenda e a secreção, sem encontrarem explicações científicas para isso. Jani diz que esse é um dos resultados da transformação da luz solar para nutrir o seu organismo, fruto de sua prática yogi secreta. Essa secreção seria o que se conhece no hinduísmo, no budismo e no yoga, como Amrita, um tipo de secreção produzida na glândula pineal dos verdadeiros e profundos meditadores. Esta secreção desce até a boca e garganta quando se está em estado de profunda meditação.

bretharianJani foi submetido a uma nova investigação, feita pelo Ministério da Defesa da Índia, no período de 22 de Abril a 6 de maio de 2010. O Instituto de Defesa de Fisiologia e Ciências Associadas da Índia desenvolve pesquisas sobre fisiologia humana para aplicação militar. Cerca de 30 cientistas investigaram Jani, para extrair dados e entendimentos sobre a sua capacidade de viver sem água e alimentos. Segundo o director do Defense Research & Development Organisation, o Dr. G. Ilavazahagan, “O exercício de passar este yogi por um exame médico minucioso é entender qual é a energia que mantém a sua existência sem alimentos ou água. E se no final de três meses, a partir dos quais pretendemos sair com conclusões baseadas nesses 15 dias de check-up, seremos capazes de chegar a uma explicação dessa hipótese, que beneficiaria enormemente a humanidade. As conclusões derivadas deste estudo de caso podem ajudar muitos soldados, vítimas de calamidades e astronautas, que muitas vezes têm que sobreviver sem comida ou água por longos períodos”.

Os cientistas que conduziram as investigações concluíram que, mesmo vivendo em jejum completo de alimentos e água, Jani teve resultados normais em todos os exames clínicos e laboratoriais, como hemogramas, angiografias, ressonâncias magnéticas e outros. Esses exames revelaram também factos surpreendentes, como, por exemplo, o de que seu organismo, que possui mais de 80 anos, é mais saudável do que o da média das pessoas de 30/40 anos. Além disso, chegaram a conclusão que seu cérebro corresponde ao de uma pessoa de 25 anos, em relação à saúde e estado de preservação.

Prahlad Jani, assim como muitas outras pessoas que vivem ou viveram durante anos ou décadas sem comer e sem beber – como Palden Dorje, Giri Bala, Luisa Piccaretta, Marthe Robin, Marie-Julie Jahenny, Therese Neumann e outras – são um mistério inexplicável para a ciência contemporânea. Todas essas pessoas passaram por experiências espirituais profundas, que ocasionaram estados incomuns de existência, a partir das quais a fonte de nutrição física deixou de ser a água e a comida, e passou a ser derivada de certos tipos de energia inacessíveis aos seres humanos comuns. Poderá este ser um futuro provável e sustentável da nossa espécie?

Assista abaixo ao supracitado documentário na íntegra (em inglês) onde se fala do caso do ‘Menino Buda’, ou Palden Dorje e se menciona, mostra e explica o caso de Prahlad Jani:

Fonte: BBC, Discovery Channel, Wikipedia, EpochTimes

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
  • Luan Moço

    Essa é uma realidade e provavelmente um dos maiores desafios da ciência contenporanea, somos seres sustentáveis em busca de um manejo elaborado e essa busca também é interna. Podemos dizer que talvez nossos ancestrais puderam sobreviver no passado pela capacidade de não precisar se alimentar com frequência, é uma possibilidade. De qualquer forma procurar entender vantagens e desvantagens nos atos de consumir e não consumir são obrigações dá ciência nos dias atuais. Tudo que se torna frequente, de certa forma se torna um vício e o corpo senti necessidade de usufruir daquele consumo, assim como ocorre em muitas drogas também pode ter ocorrido dessa forma em relação aos alimentos para com nossos corpos. Então teoricamente a sensação de fome diária pode ser consequência do vício dá impressão que temos de fome. Estamos aqui nesse mundo para aprender cada vez mais, a ciência é saúde, é magia, é religião,é evolução. Durante a eternidade​. Somos humanos e possuímos capacidades alem do que a ciência compreende e transpoe nos dias de hj. Reconhecimento de fatos e profunda análise e investigação para alavancar a uma outra realidade.

Partilhas