História Insólito Polémico

Hitler fugiu para a Argentina e provavelmente morreu muitos anos depois no Brasil!

e9fe550ba3c0c201d69e3bc0a455b623_LCom Quase 70 anos de atraso – O FBI Abre em surdina os Arquivos Secretos que atestam HITLER foi para a Argentina em vez de cometer suicídio. Outros relatos anteriores a estas provas indicavam já detalhes da vida de Hitler na Argentina e final de vida algures no Brasil.

A 30 de Abril de 1945, Adolf Hitler suicida-se num bunker subterrâneo. O corpo foi descoberto mais tarde e identificado pelos soviéticos, envolto em contradições e historietas, antes de ser levado de volta para a Rússia. É realmente possível , que os soviéticos tivessem mentido todo este tempo, propositadamente para a história ser reescrita?

Ninguém pensava assim até a libertação dos documentos do FBI . Parece que é possível, que o homem mais odiado da história escapou da Alemanha devastada pela guerra e viveu uma vida bucólica e tranquila nos maravilhosos sopés da Cordilheira dos Andes ou alegadamente terá terminado a sua senda algures no Brasil.

A comunidade secreta sabia!

Registos do FBI divulgados recentemente estão a mostrar que não só Hitler e Eva Braun tiveram suicídios falsificados, mas que a dupla infame pode ter tido a ajuda do director suíço dos OSS dos Estados Unidos, Allen Dulles.

Num documento do FBI de Los Angeles, é revelado que a agência estava ciente de um misterioso submarino fazendo caminho até a costa argentina levava para fora altos funcionários nazis. O que é mais surpreendente é o facto estranho que o FBI sabia que ele estava de facto a viver no sopé da Cordilheira dos Andes.

ng3181713

>>> Pode ver os documentos do FBI aqui <<<

QUEM É O misterioso informante ?

Numa carta ao escritório de Los Angeles , em Agosto de 1945, um informante não identificado concordou em trocar informações de asilo político. O que ele disse aos agentes foi impressionante. O informante não só sabia que Hitler estava na Argentina como confirmou ser um dos quatro homens dentro do submarino alemão. Aparentemente, dois submarinos haviam desembarcado na costa argentina: Hitler e Eva Braun estavam a bordo do segundo.

O governo argentino não só se congratulou com o ditador alemão, como objectivamente também auxiliou no seu esconderijo. O informante não só passou a dar instruções detalhadas sobre as aldeias que Hitler e seu partido tinham passado, como também os detalhes físicos credíveis sobre Hitler. Embora por razões óbvias o informante nunca seja citado nos documentos do FBI , ele era confiável o suficiente para ser acreditado por alguns agentes.

Este informador disse ainda que o líder nazi tinha cortado o seu bigode e vivia num rancho fortemente vigiado. “Se forem a um hotel em San Antonio, Argentina, consigo arranjar um homem que se encontre lá com vocês e vos diga onde é o rancho onde está Hitler”, disse o informador.

A informação chegou ao líder do FBI, J. Edgar Hoover, que a reencaminhou para o Departamento de Guerra.

No entanto, num documento de 21 de Setembro de 1945, os agentes do FBI concluíram que devido à pouca informação seria impossível continuar a seguir esta pista.

O FBI tentou esconder paradeiro de Hitler.

Mesmo com uma descrição física detalhada, o FBI ainda dá indicações sobre como não acompanhar nova tese. Mesmo com evidências que colocaram o submarino alemão U-530 circundando a costa argentina pouco antes de chegar, e uma abundância de testemunhas oculares atestando que o oficial alemão foi deixado, ninguém investigado.

Em 1945, um Adido Naval em Buenos Aires havia informado Washington que havia uma alta probabilidade de que Hitler e Eva Braun tinham acabado de chegar na Argentina. Isso coincidiu com as aparições do submarino U-530. Adicionado à prova estão, sob a forma de artigos de jornais, detalhes da construção de uma mansão em estilo bávaro, no sopé da Cordilheira dos Andes, trabalho do arquiteto Alejandro Bustillo que já escrevera sobre o seu projecto de construção de nova casa de Hitler. Tudo era financiado por ricos imigrantes alemães.

Provas irrefutáveis ​​de que HITLER ESCAPOU:

Talvez a evidência mais representativa de que Hitler sobreviveu à queda da Alemanha encontra-se na Rússia. Com a ocupação soviética da Alemanha, o corpo de Hitler deveria ser escondido rapidamente e levado para a Rússia, para nunca mais ser visto. Isso é até 2009, quando um arqueólogo de Connecticut State, Nicholas Bellatoni, foi autorizado a realizar testes de DNA num dos fragmentos do crânio recuperado descobrindo algo que desencadeou uma reacção explosiva na comunidade académica. Não só a de que não encontrou nenhuma das amostras de DNA que se pensava ser de Hitler, como elas não correspondem ao DNA de Hitler ou de Eva Braun. Então a questão é, o que os soviéticos descobriram no bunker, e onde estaria Hitler ?

Dwight D. Eisenhower escreveu a Washington estar preocupado com o desaparecimento de Hitler (e não com a morte) e alguns documentos apresentam que não era apenas o general Eisenhower que estava preocupado com o desaparecimento de Hitler, Stalin também expressou essa preocupação.

hitler-620x400Jornalista afirma que Hitler morou e morreu na Argentina

Muito antes destas certezas ou confirmações já no livro “El Exilio de Hitler” (Ediciones Absalón), do jornalista argentino Abel Basti, de 54 anos, se sustenta que o líder nazi e sua mulher, Eva Braun, não se mataram. “Fugiram” para Barcelona, onde passaram alguns dias, e depois foram para a Argentina de submarino, onde morreu, depois dos anos 60. Dezenas de relatórios mainstream sustentam que a polícia secreta comunista levou os restos mortais (queimados) de Hitler e Eva Braun para a União Soviética. Basti afirma, sem apresentar documentação confiável, que a informação não é verdadeira e que os nazis, como Hitler, o chefe da Gestapo, Heinrich Müller, e Martin Bormann plantaram pistas falsas. Entrevistado pelo jornal “ABC”, em Espanha, sustenta que “existem três documentos” que comprovam que o nazi não se matou: “Do serviço secreto alemão, que dá conta de que chegou a Barcelona, procedente de um voo da Áustria; do FBI, que indica que ‘o exército dos Estados Unidos está gastando a maior parte de seus esforços para localizar Hitler na Espanha’; e um terceiro do serviço secreto inglês, que fala de um comboio de submarinos com líderes nazis e ouro saindo rumo a Argentina, fazendo uma escala nas Ilhas Canárias”.

Um jesuíta nonagenário é apresentado por Basti como uma de suas mais importantes fontes. Ele dispõe de muitas informações sobre a presença de Hitler na Espanha, segundo o jornalista. No livro, porém, não revela nada de sensacional.

Para não ser reconhecido, Hitler cortou o cabelo, ficou quase careca e rapou o bigode. Teria ficado irreconhecível. “O corte do bigode deixou à mostra uma cicatriz, sobre o lábio superior, que não era conhecida por gente comum.”
Basti assegura que “a fuga de Hitler estava prevista em um grande plano de evasão — de homens, capital e tecnologia — preparado pelos nazis. Esse plano, em 1945, recebeu luz verde dos norte-americanos, como resultado de um pacto secreto militar de troca de conhecimento e cientistas. Os milhares de nazis que puderam fugir para o Ocidente — dos quais cerca de 300 mil foram para os Estados Unidos — foram ‘reciclados’ [recrutados] para lutar contra o comunismo. Hitler transformou-se num dinossauro vivo, protegido e refugiado”.

O entrevistador Antonio Astorga menciona documentos secretos britânicos nos quais se revela que Hitler fugiu para a Argentina num submarino, “com escala técnica nas Ilhas Canárias”. A versão de Basti: “Antes que o comboio de submarinos partisse da Espanha, a Armada [Marinha] norte-americana retirou todas as suas unidades navais do Atlântico Sul. Os submarinos nazis ‘trocaram mensagens’ com a frota norte-americana. As mensagens foram interceptadas pelos ingleses”.

Cidadã brasileira afirma que Hitler morreu no Brasil

Adolf Hitler fugiu da Alemanha e depois de viver noutros países da América do Sul, morreu no Brasil aos 95 anos anos. Este é a tese de doutoramento em jornalismo de Simoni Renée Guerreiro Dias, cidadã brasileira.

adolfleipzigGLOBO

O ditador recorreu a amigos que tinha no Vaticano e fugiu da Alemanha depois de ter simulado a própria morte, alega a investigadora, que explica que o primeiro destino foi a Argentina após espera por submarino em Barcelona. Já com o apelido alterado para Adolfo Leipzig, Hitler ter-se-á depois mudado para o Paraguai, antes de rumar ao Brasil, onde morreu em 1984, com 95 anos, na cidade de Nossa Senhora do Livramento, no estado de Mato Grosso.

A investigadora, que reside no estado de Mato Grosso, revela que foram os relatos de um alemão idoso com muitas parecenças com Hitler que a levaram a investigar. A mulher encontrou uma fotografia desse homem, datada de 1982, e, segundo o portal Globo, ao manipular a imagem e lhe colocar um bigode, deu aquele que seria o primeiro passo da investigação: aquele homem podia mesmo ser Adolf Hitler.

A tese foi contestada por Cândido Moreira Rodrigues, professor de História Política e Contemporânea da Universidade Federal de Mato Grosso, que acusa a investigação de Simoni de falta de rigor científico.

Sobre o facto de a imagem mostrar um homem e a sua companheira, uma mulher negra, Simoni alega que era parte do disfarce, uma vez que ninguém pensaria que Hitler se envolveria com uma mulher que não fosse caucasiana. Outro dado tido por Simoni como indicação de que era mesmo Hitler aquele «alemão velho», como era chamado no bairro, tem a ver com os relatos de uma freira sobrevivente ao Holocausto que se sentiu mal ao reconhecer Adolfo Leipzig como sendo Hitler, durante uma visita do idoso ao hospital, em 1979.

O caso será desvendado em breve. Simoni conseguiu autorização para exumar o corpo de Adolf Leipzig e recolheu amostras de ADN, que serão comparadas com as de um descendente de Hitler.

Embora estas hipóteses pareçam demasiado rebuscadas ou ridículas até, na verdade os documentos secretos revelados recentemente apontam para esta possibilidade dando nova luz à opinião de muitos investigadores ao longo dos tempos… e uma vez mais o que era Teoria da Conspiração deixou de o ser!

Vídeo acrescentado por recomendação de um nosso leitor, Filipe Gonçalves:

http://www.youtube.com/watch?v=y9jyo5Ulr8I
Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
  • Wagner Dante Mussi

    Hitler tinha Parkinson, é incabível acreditar que ele viveria até 95 anos, pura especulação sem sentido…

  • Pedro Pacheco

    O pessoal deveria analisar melhor os diarios e publicações dos próximos a eles e verá que haviam sosias deles, é só ler e analisar!

  • Vinicius de Morais

    Acho pouco provável o que austríaco Adolf Hitler tenha se matado em um Banker com sua esposa. Vale observar que Hitler aprendeu a ser cauteloso em certos momentos do Terceiro Reich, e que os Nazis provavelmente tinham grandes planos de fuga para os da alta classe nazista caso a coisa não funciona-se como esperavam.

  • Odair
  • Fabrício Navarro

    Sempre soube que bem lá no fundo o chucrute apreciava uma carninha mais tostadinha…

  • Marcos Ribeiro

    EU MORO EM CUIABA ESSA PROFESSORA ANALFABETA HITLER JAMAIS MORRERIA ABRAÇO UMA MULHER NEGRA, E ELE JAMAIS FICARIA VIVO AOS 95 ANOS EM MATO GROSSO ESSA CIDADE FAZ UM CALOR MALDITO E TEM MTO AFRODESCENDENTE O POVO CUIABANO COMO PROFISSIONAL É MTO RUIM PROVA DISSO É ESSA RETARDADA Q FORMOU NA UFMT, HITLER ERA CHEIO DE PROBLEMAS DE SAUDE IA FICAR NO CALORZÃO PROFESSORA ANALFABETA CUIABANA

Partilhas