Ciência Polémico

Investigadores conseguem estabelecer comunicação entre cérebros humanos

A telepatia sempre pareceu algo presente apenas em ficção científica, mas, para alguns cientistas, isso pode tornar-se realidade.

E se os nossos cérebros realmente tiverem a capacidade de interagir diretamente uns com os outros, ignorando a necessidade de linguagem? De acordo com Investigadores da Universidade de Washington, esta possibilidade não parece ser algo tão distante como parece.

 

No início deste ano, os investigadores já tinham chegado à conclusão que seria possível enviar sinais emitidos directamente do cérebro através da Internet, com o objetivo de controlar os movimentos da mão de um segundo participante. Agora, num estudo mais detalhado, conseguiram transmitir, de maneira repetida, sinais do cérebro de uma pessoa através da Internet, e estes sinais serviram para controlar os movimentos da mão de outra pessoa dentro de uma fracção de segundo.

O estudo foi realizado com seis pessoas, divididas em três pares, em que um era emissor e o outro receptor. Cada dupla estava separada a uma distância de menos de um quilómetro, em prédios no campus da Universidade de Washington. Os participantes não puderam interagir uns com os outros, exceptuando a ligação entre os cérebros.

journal.pone.0105225.g001

O teste foi o seguinte: um participante, o “remetente”, ficou ligado a um eletroencefalograma que leu a atividade cerebral e enviou pulsos elétricos através da Internet para o “receptor”, que teve um equipamento de estimulação magnética colocado próximo da parte do seu cérebro que controla os movimentos das mãos. Desta maneira, o remetente pode emitir um comando para mover a mão do receptor, apenas “pensando” no movimento.

O remetente, que estava a jogar um jogo de computador em que ele teria que defender uma cidade no qual precisava de utilizar canhões para o efeito, pensa em disparar o canhão em vários intervalos durante todo o jogo. Ao pensar “Fogo!”, sinais cerebrais, enviados através da Internet, diretamente para o cérebro do receptor, fizeram com que a mão deste último disparasse o canhão.

A precisão entre os pares variou entre 25% e 83%. Os investigadores acreditam que, no futuro, este tipo de conhecimento poderá ter aplicações terapêuticas em pessoas com lesões cerebrais ou doenças.

Veja o poder deste avanço tecnológico enorme em acção!

Fonte: PLOS ONE

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
Partilhas