Cultura Polémico

«Onde está a Merkel?»

Um conservador jornal Judeu editou uma fotografia dos líderes mundiais que se encontravam presentes numa campanha solidária anti-extremista em Paris na última semana, ao manipular as imagens de modo a retirar as  políticas do sexo feminino entre elas uma das pessoas mais poderosas do planeta, Angela Merkel.

merkel-march-paper-photoshopped.si

A Chanceler alemã, juntamente com a Mayor de Paris Anne Hidalgo, as altas representantes da Europa para os assuntos estrangeiros Federica Mogherini e a primeira ministra da Dinamarca Helle Thorning-Schmidt, todas retiradas da fotografia do famoso fotógrafo do jornal Haredi “HaMevaser”.

Imagens de mulheres são normalmente retiradas das publicações conservadoras, segundo eles para proteger a modéstia das mulheres num mundo que só se baseia na visão do homem.

Detectado por um repórter religioso num website Hebraico “Walla!, a manipulação despoletou a condenação à atitude nos media internacionais.

O mais antigo jornal Israelita, Haaretz, apelidou o incidente de “enfurecedor e chocante”. “Merece ser chamado à atenção – tal como negar o facto de que no resto do mundo a mulher está presente no mundo e participa em eventos” escreve o jornal num blog.

Em seguimento do ataque à revista satírica de Paris, Charlie Hebdo, no qual 12 pessoas foram mortas por terroristas, mais pessoas sentem-se vítimas dos extremistas na capital Francesa. Durante a caça aos terroristas, existiram vítimas num novo cerco numa loja Kosher em Paris. Após entrar na loja, um homem armado com espingardas automáticas que disparou sobre quatro pessoas e fez 16 reféns. A mulher do poder que marchou lado a lado com outros líderes mundiais em uníssono para apoiar as vítimas dos ataques de Paris, não foram apenas desfocadas. A fotografia foi exaustivamente editada, com imagens de participantes masculinos a substituir as figuras femininas.

A campanha de políticos em Paris já causou reacções controversas. Enquanto que o Israelita Benjamin Netanyahu criticou o facto da fotografia da marcha não incluir o presidente da Palestina Mahmoud Abbas, o presidente dos Estados Unidos foi criticado por não estar sequer presente.

Reagindo às imagens editadas da marcha num jornal Israelita, alguns comentaram em tom de brincadeira que o Obama devia ter pedido para ser colocada a sua imagem no lugar de Angela Merkel. Outros deixaram a Chanceler alemã e as outras líderes mundiais nos seus lugares e retiraram todos os homens.

Fotografias da marcha histórica em Paris no dia 11 Janeiro foram amplamente alteradas. O antigo presidente Francês Nicolas Sarkozy colocou-se na linha da frente da marcha, os seus movimentos foram apanhados por utilizadores da Internet e foi ridicularizado por estar tão desesperado pelo destaque. Dezenas de imagens editadas em photoshop emergiram com a hashtag #JeSuisNico, o que imediatamente virou moda no Twitter.

          Fonte: RT  

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
Partilhas