Ciência Natureza

Plantas têm memória, sentem dor e são inteligentes

Pode uma planta ser inteligente? Alguns cientistas insistem que são – uma vez que elas podem sentir, aprender, lembrar e até mesmo reagir de formas que seriam familiares aos seres humanos. A nova pesquisa está num campo chamado neurobiologia de plantas – o que é meio que um equívoco, porque mesmo os cientistas desta área não argumentam que as plantas tenham neurónios ou cérebros.

Elas têm estruturas análogas“, explica Michael Pollan, autor de livros como The Omnivore’s Dilemma (O Dilema do Onívoro) e The Botany of Desire (A Botânica do Desejo). “Elas têm maneiras de tomar todos os dados sensoriais que se reúnem em suas vidas quotidianas … integrá-los e, em seguida, se comportar de forma adequada em resposta. E elas fazem isso sem cérebro, o que, de certa forma, é o que é incrível sobre isso, porque assumimos automaticamente que você precisa de um cérebro para processar a informação”.

E nós supomos que precisamos de ouvidos para ouvir. Mas os pesquisadores, diz Pollan, tocaram uma gravação de uma lagarta comendo uma folha para plantas – e as plantas reagiram. Elas começam a segregar substâncias químicas defensivas – embora a planta não esteja realmente ameaçada, diz Pollan. “Ela está de alguma forma ouvindo o que é, para ela, um som aterrorizante de uma lagarta comendo suas folhas.”

Plantas podem sentir

Pollan diz que as plantas têm todos os mesmos sentidos como os seres humanos, e alguns a mais. Além da audição e do paladar, por exemplo, elas podem detectar a gravidade, a presença de água, ou até sentir que  um obstáculo está a bloquear as suas raízes, antes de entrar em contacto com ele. As raízes das plantas mudam de direcção, diz ele, para evitar obstáculos.

E a dor? As plantas sentem? Pollan diz que elas respondem aos anestésicos. “Pode apagar uma planta com um anestésico humano… E não só isso, as plantas produzem seus próprios compostos que são anestésicos para nós.” 

De acordo com os pesquisadores do Instituto de Física Aplicada da Universidade de Bonn, na Alemanha, as plantas libertam gases que são o equivalente a gritos de dor. Usando um microfone movido a laser, os pesquisadores captaram ondas sonoras produzidas por plantas que liberam gases quando cortadas ou feridas. Apesar de não ser audível ao ouvido humano, as vozes secretas das plantas têm revelado que os pepinos gritam quando estão doentes, e as flores se lamentam quando suas folhas são cortadas [fonte: Deutsche Welle].

Plant_042913-617x416

Sistema nervoso de plantas

Como as plantas sentem e reagem ainda é um pouco desconhecido. Elas não têm células nervosas como os seres humanos, mas elas têm um sistema de envio de sinais eléctricos e até mesmo a produção de neurotransmissores, como dopamina, serotonina e outras substâncias químicas que o cérebro humano usa para enviar sinais.

As plantas realmente sentem dor

As evidências desses complexos sistemas de comunicação são sinais de que as plantas sentem dor. Ainda mais, os cientistas supõem que as plantas podem apresentar um comportamento inteligente sem possuir um cérebro ou consciência.

Elas podem se lembrar

michael pollan plantas sencientes conscientes inteligência veganismo vegetarianismo burrice errado dó piedade misericórdiaPollan descreve um experimento feito pela bióloga de animais Monica Gagliano. Ela apresentou uma pesquisa que sugere que a planta Mimosa pudica pode aprender com a experiência. E, Pollan diz, por apenas sugerir que uma planta poderia aprender, era tão controverso que seu artigo foi rejeitado por 10 revistas científicas antes de ser finalmente publicado.

Mimosa é uma planta, que é algo como uma samambaia, que recolhe suas folhas temporariamente quando é perturbada. Então Gagliano configurou uma engenhoca que iria pingar gotas na planta mimosa, sem ferir-la. Quando a planta era tocada, tal como esperado, as folhas se fechavam. Ela ficava pingando as plantas a cada 5-6 segundos.

Depois de cinco ou seis gotas, as plantas paravam de responder, como se tivessem aprendido a sintonizar o estímulo como irrelevante“, diz Pollan. “Esta é uma parte muito importante da aprendizagem – saber o que você pode ignorar com segurança em seu ambiente.”

Talvez a planta estava apenas se cansando de tantos pingos? Para testar isso, Gagliano pegou as plantas que tinham parado de responder às gotas e sacudiu-as.

Elas continuavam a se fechar“, diz Pollan. “Elas tinham feito a distinção que o gotejamento era um sinal que elas poderiam ignorar. E o que foi mais incrível é que Gagliano as testou novamente a cada semana durante quatro semanas e, durante um mês, elas continuaram a lembrar a lição.”

Isso foi o mais longe que Gagliano testou. É possível que elas se lembrem ainda mais. Por outro lado, Pollan aponta, as abelhas que foram testadas de maneira semelhante se esquecem o que aprenderam em menos de 48 horas.

Plantas: seres sentientes?

As plantas podem fazer coisas incríveis. Elas parecem se lembrar de estresse e eventos, como essa experiência. Elas têm a capacidade de responder de 15 a 20 variáveis ambientais”, diz Pollan. “A questão é, é correto de chamar isso de aprendizagem? É essa a palavra certa? É correto chamar isso de inteligência? É certo, ainda, dizer que elas são conscientes? Alguns destes neurobiólogos de plantas acreditam que as plantas estão conscientes – não auto-conscientes, mas conscientes, no sentido que elas sabem onde elas estão no espaço … e reagem adequadamente a sua posição no espaço”.

Pollan diz que não há definição consensual de inteligência. “Vá para a Wikipedia e procure por inteligência. Eles se desesperam para dar-lhe uma resposta. Eles têm basicamente um gráfico onde dão-lhe nove definições diferentes. E cerca da metade delas dependem de um cérebro … se referem ao raciocínio abstracto ou julgamento.”

“E a outra metade apenas se referem a uma capacidade de resolver problemas. E esse é o tipo de inteligência que estamos falando aqui.  Então a inteligência pode muito bem ser uma propriedade de vida. E a nossa diferença em relação a essas outras criaturas pode ser uma questão da diferença de grau e não de espécie. Podemos apenas ter mais desta habilidade de resolver problemas e podemos fazê-lo de diferentes maneiras.”

Pollan diz que o que realmente assusta as pessoas é “que a linha entre plantas e animais pode ser um pouco mais fina do que nós tradicionalmente acreditamos.”

E ele sugere que as plantas podem ser capaz de ensinar os seres humanos uma ou duas coisas, tais como a forma de processar a informação sem um posto de comando central, como um cérebro.

Confira este vídeo de Michael Pollan.

 

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
  • William Corrêa

    Os estudos são interessantes. Mas é complicado assumir que a presença de sinais de comunicação é evidência para sentir dor. Isso é evidência para a captação e transmissão de estímulos e a consequente resposta a eles. Usar o termo “sensibilidade” é questionável.

    A captação de um estímulo pode ocorrer sem ao menos haver sensação alguma ou sem haver alguma delas. Por exemplo, existem pessoas no mundo que não sentem dor, embora sejam capazes de perceber outras sensações.

    Em relação à inteligência e memória, de fato, é uma reflexão a se colocar em pauta. Existem várias definições para inteligência e cabe a nós pensar se somente a inteligência racional pode ser chamada de inteligência. E se só a memória ocasionada via hipocampo e outros, por meio da plasticidade sináptica pode ser chamada de memória/aprendizagem.

    Só é preciso ter cuidado para que não hajam extrapolações científicas. 🙂

  • Valdæmonium Noctus

    em minha opinião vã e sem um embasamento científico, sempre achei que o orgânico, uma célula por exemplo, já que guardam tantas informações e fazem atividades básicas para a vida, podem de alguma forma ter algum mecanismo de sentido, até pela segurança das mesmas, com base nisso essa matéria não me é surpreendente. Todavia sim, há muito o que experimentar, para chegar a conclusões mais específicas, e que traga com mais força esse tema.

  • Sergio Augusto da Silva

    Para cada quilo de carne são necessários SETE quilos de vegetais. Se vc tem compaixão pelas plantas, seja vegano, pois um carnista mata mais plantas que um vegano e ainda o grupo dos animais.

    • Guilherme

      mimimi

      • Sergio Augusto da Silva

        mimimi desculpa pra comer defunto, cadaver
        ]

        • Guilherme

          sim

        • Maria Cláudia Gurgel do Amaral

          Não é mimimi não babaca. Se for provado que planta sente dor, ao comê-la, vc está provocando tanta dor quanto outra pessoa ao comer um animal. Pensar não doi não, retardado!

          • Sergio Augusto da Silva

            Dor é um estado mental, só quem tem mente sente dor. Desculpa pra comer cadáveres? Come frutas, legumes e grãos, pois não precisa matar a planta. Se tem realmente compaixão pelas plantas! Pois tenho certeza que não está nem aí para os animais e plantas.

    • Caio Cézar

      Você sabe que isso não muda o fato de que ao comer a planta você também está matando um ser, né? E olha que coincidência, você está matando um ser vivo para comer! Igual ao carnívoro!
      Pare com essa hipocrisia. Logo mais vão querer proibir os animais na natureza de matarem uns aos outros para poderem se alimentar.

    • PEDRO VANIUS

      Não se pode comparar proporções entre estes e aqueles por mero preconceito,não adianta comparar para redimir a conciência dos veganos ambos matam e deste fato não há como se eximir !! Não deve-se matar isso é o que realmente é de fundamental relevância !

    • Re

      Vegano nao come planta? Vegetal pra voce é planta?

  • Stewart Hughes

    eu sempre soube disso,,,

  • Yury Souza

    o que ele chama de inteligência é só parte do processo de evolução que as espécies desenvolvem naturalmente com o aprendizado.

  • tekhiun

    E cade o link o para a publicação ? Não sabemos nem aonde foi publicado …. Parece mais pseudo ciência do que ciência de verdade.

    • E cade a capacidade de ler outra vez e encontrar por si próprio percebendo que está tudo no texto e eventualmente na sua investigação? Não sabe onde foi publicado porque não leu o artigo… ler as letras gordas não o torna um cientista.

    • Vital Alves

      este estudo foi apresentado pelo Instituto de pesquisa da universidade de Bonn na Alemanhã, foi rejeitado para publicação por 4 ou 5 revistas cientificas, acabando por ser aceite por uma.

  • Thiago Carvalho

    As vezes parece que as pessoas simplesmente não querem ouvir a verdade. O.K., isto afeta a ideia de vegetarianismo e veganismo, mas é a verdade. Ponto. Não é o único site tratando disso. Geralmente você só ouve uns contra-argumentos meio que desvalorizando isso. Cara, não é uma questão de opinião. A verdade tem que ser dita, mesmo que você não acha que tenha dado algum resultado.

  • Rose

    Conheço um “doido” que já falava isso na década de 80.
    Vivendo e aprendendo.

    • Vital Alves

      eu era um desses doidos

Partilhas