Natureza Sustentabilidade

Monsanto aceitou a derrota, mas…

Stop-Monsanto-696x465

A Monsanto desistiu da batalha para a implementação das suas sementes GMO na Europa, mostrando que as mobilizações podem alcançar vitórias significativas contra os grandes interesses económicos e políticos. Espanha e Portugal são a excepção.

A Monsanto garante que terminaram com as actividades de promoção das suas sementes GMO na Europa e que não tem a intenção de pedir autorização para a venda de novas plantas transgénicas na região. “Não gastaremos mais dinheiro para convencer as pessoas a cultivar”, disse Brandon Mitchener, chefe de Relações Públicas da Monsanto para a Europa e Oriente Médio, numa entrevista à Investigative Reporting Denmark.

A rejeição pelos produtores agrícolas e consumidores dos organismos geneticamente modificados (OGM), devido aos seus impactos negativos na biodiversidade, meio ambiente e saúde no curto prazo e até mesmo efeitos imprevisíveis a longo prazo levou a multinacional a envolver-se em grandes investimentos em marketing, acções judiciais e acções de lobby para ganhar aceitação para os seus produtos. O anúncio da sua retirada é uma vitória para todos os que têm informado e lutado contra a sua expansão.
Stop-Monsanto-696x465
Em 2001, foi publicada a Directiva Política Europa “libertação intencional do meio-ambiente de organismos geneticamente modificados” e na maioria dos países europeus, esses produtos já foram proibidos. Incluindo a Alemanha, França, Grécia, Itália, Polónia, Luxemburgo, Bulgária, Suíça, Áustria, Irlanda e Hungria que optou por ter “zonas francas transgénicas “. Apenas 1% de todo o milho cultivado na Europa é transgénico.

Monsanto não foi a primeira a desistir de sua batalha de implementar GMO no continente europeu. Em 2012, a BASF tinha anunciado a retirada das suas sementes GMO na Europa, uma decisão que a Syngenta havia tomado vários anos atrás, sob pressão dos produtores, consumidores e governos.

Espanha, reino europeu da GMO

No entanto, as informações publicadas pela Investigative Reporting Denmark indicam que Monsanto irá aplicar uma excepção para a retirada de OGM na Europa. Aqueles países onde têm o apoio de agricultores ou político Considerando este último ponto são três os mercados onde a multinacional vai continuar a expandir os seus negócios: República Checa, Portugal e Espanha.

Espanha actualmente concentra 90% da produção de milho GMO na Europa

Enquanto na República Checa estas culturas estão em declínio, Portugal e Espanha, continuam com o seu desenvolvimento. Na verdade, actualmente Espanha concentra 90% da produção de milho GMO na Europa. Apesar das hesitações dos agricultores e consumidores, o apoio dado a estes cultivos pelas classes políticas e interesses económicos levaram à sua expansão.

Fonte: nauzero

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
Partilhas