Astronomia Ciência

Descoberta ‘Mega-Terra’ que está a intrigar os astrónomos

img-terra-682dOs astrónomos que descobriram um planeta rochoso que pesa 17 vezes mais do que a Terra e tem o dobro do tamanho estão agora a braços com o desafio de explicar como se terá formado. Esta descoberta vem abanar alguns pressupostos científicos astronómicos e aumenta a probabilidade de existência de vida extra-sistema solar.

O Kepler-10c fica num sistema solar distante e é tão grande (e sólido) que os astrónomos nem pensavem ser possível existir um planeta assim. Esta “mega-Terra” já era conhecida, mas ainda não tinha sido possível avaliar-lhe o tamanho. Agora, concluiu-se, graças a um instrumento potente num telescópio nas Canárias, que tem um peso 17 vezes superior ao do nosso planeta.

Segundo a NASA, o que está a causar admiração aos cientistas é que a força gravitacional de uma massa assim agregaria uma espécie de envelope de gás durante a sua formação, transformando-o num gigante gasoso do tamanho de Neptuno ou mesmo Júpiter. No entanto, ao que tudo indica, o Kepler-10c é bem sólido, composto sobretudo por formações rochosas.

“É o Godzilla das Terras, mas ao contrário do monstro dos filmes, o Kepler-10c tem implicações positivas para a vida”, compara Dimitar Sasselov, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, explicando que “encontrar o Kepler-10c diz-nos que os planetas rochosos podem ter-se formado muito mais cedo do que pensavamos. E se é possível criar rochas, é possível criar vida”.

Os astrónomos estimam que o sistema solar do planeta tenha cerca de 11 mil milhões de anos, o que significa que se terá formado menos de 3 mil milhões de anos depois do Big Bang. A Terra tem cerca de 4,5 mil milhões de anos.

Fonte: Visão

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
Partilhas