Saúde

Legionela: O que é? Como se transmite?

Com os recentes casos em Portugal e o alarido da comunicação social, cabe-nos informar!

A doença transmite-se por via aérea (respiratória): a pessoa inala gotículas de água (aerossóis) contaminadas com legionela e esta atinge os pulmões. A infecção criada, embora não seja contagiosa, pode ser mortal em casos graves.

O recente surto de legionela, que envolve o Hospital de São Francisco Xavier, volta a lançar a discussão sobre a legislação relativa à qualidade do ar interior. Consideramos que há um vazio legal que é urgente corrigir. As auditorias periódicas obrigatórias à qualidade do ar interior foram eliminadas pelo Decreto-Lei n.º 118/2013, de 20 de Agosto, mas só através destas é que podem ser detectadas deficiências nos sistemas de climatização. O facto de legalmente ser obrigatório o cumprimento dos valores-limite não é suficiente, porque esse requisito só é verificado em caso de uma denúncia que obrigue a uma inspecção. Só uma inspecção periódica obrigatória contribui para uma adequada política de salvaguarda da saúde pública e de prevenção de doenças como a legionela

A legislação anterior determinava a realização de auditorias a cada 2 anos em escolas, hospitais, clínicas; a cada 3 anos em edifícios de serviços, comerciais, turismo, transportes, culturais; e a cada 6 anos para os restantes casos. Parece-nos uma periodicidade adequada. 

Como se transmite

Consumir água da rede ou usá-la para cozinhar não é prejudicial. Esta doença não se transmite de pessoa para pessoa. Pode ser contraída a tomar duche, a usar os lavabos ou a frequentar, por exemplo, piscinas públicas ou até através do ar vindo dos aparelhos de ar condicionado centralizados. A infecção transmite-se por via aérea (respiratória): a pessoa inala gotículas de água (aerossóis) contaminadas com legionela e esta atinge os pulmões. A infecção criada, embora não seja contagiosa, pode ser mortal em casos graves. O vapor das panelas não é perigoso, porque a bactéria morre a mais de 70ºC. Passar a ferro também é seguro.

A legionela está presente um pouco por toda a natureza, nomeadamente nos rios e nos locais que contêm água doce (lagoas, lagos, pântanos, etc.). Depois de tratada e antes de ser distribuída, a água da rede pública não contém legionela detectável. Esta encontra-se, em estado latente, na água das canalizações.

Esta bactéria também habita em reservatórios artificiais, como sistemas de água doméstica, quente e fria, humidificadores e torres de arrefecimento de sistemas de ar condicionado ou de unidades fabris, piscinas, jacuzzis, instalações termais, equipamentos de terapia respiratória em hospitais, sistemas de rega por aspersão, aparelhos de limpeza com pressão de água, entre outros. Isto é, a bactéria dissemina-se com facilidade em locais onde se libertam aerossóis.

Como proteger-se

Na eventual ocorrência de colónias de legionela na água da rede doméstica, é fundamental evitar a inalação de aerossóis que se formam, essencialmente, quando a água atinge determinada pressão. Para diminuir a pressão da água, retire os filtros arejadores das torneiras e as cabeças dos chuveiros: pode assim servir-se destes dispositivos minimizando a formação de gotículas. Estas extremidades devem ser mergulhadas numa solução de água e lixívia (metade de cada) durante 1 hora. Faça o mesmo à mangueira do duche.

Até conhecer a origem deste surto de legionela, não use humidificadores ou jacuzzi. Se tem aparelhos de desumidificação, remova a estrutura exterior do equipamento e deixe escoar toda a água acumulada. Limpe o reservatório onde a água condensa, a válvula de descarga e os filtros com um pano embebido numa solução de lixívia.

Os aparelhos de ar condicionado domésticos (splits murais, por exemplo) funcionam através da circulação de um gás refrigerante e não de água, pelo que a sua utilização não aumenta o risco de contrair a doença. Os aparelhos de ar condicionado com torres de refrigeração, mais habituais em edifícios de comércio e serviços, são os que levantam preocupações.

Outros conselhos importantes

  • Evite a estagnação de água nas canalizações de casas desabitadas há muito tempo. Nestes casos, deixe correr a água por uns momentos em todas as torneiras.
  • Após a substituição de canalizações antigas ou de reparações na rede de distribuição, mande limpar e desinfectar as juntas e filtros. Depois, deixe correr a água das torneiras por um certo tempo.
  • Não falhe a manutenção dos equipamentos: limpe e elimine o tártaro com uma solução ácida e desinfecte com lixívia, pelo menos, uma vez por ano. Substitua as juntas e os filtros.
  • Tem um termoacumulador? Mantenha a temperatura da água a mais de 70ºC.

Quem está em risco?

A doença dos legionários é uma pneumonia grave causada por bactérias do género legionela e afecta, na maioria das vezes, pessoas que já têm a saúde debilitada. Estão mais vulneráveis à acção desta bactéria:

  • indivíduos com mais de 50 anos;
  • homens (têm uma incidência três vezes superior comparativamente com as mulheres);
  • fumadores;
  • doentes crónicos (doenças do foro respiratório, diabetes, cancro, entre outras);
  • pessoas que apresentem deficiência imunitária devido a doença ou na sequência de uma operação.

As crianças raramente são afectadas por esta doença.

Obrigado por nos dizer como este artigo o fez sentir! Agora conte a todos partilhando - .
Como este artigo o faz sentir?
  • Fora de Mim
  • Fascinado
  • Apoiado
  • Indiferente
  • Assustado
  • Chateado
Partilhas